CAPITALISMO

Vamos falar um pouco sobre o capitalismo, o sistema que mesmo não sendo perfeito foi o que mais se adequou e melhorou o mundo em que vivemos.

Mas o que é o capitalismo?

Capitalismo é antes de qualquer coisa, troca voluntária entre as partes que uma satisfaz a outra, seja com bens ou serviços.

E isso mudou e melhorou muito nossas vidas? Com certeza, pois sempre tivemos e temos variadas necessidades e isso sempre dá a possibilidade de crescermos, porque além de oportunidades de satisfazer as mais variadas necessidades, também sempre cresce a oferta e demanda, que inclusive faz parte do capitalismo, fora as grandes tecnologias e esforços cada vez maiores para a qualidade de vida.

Mas então, porque o capitalismo é tão mal visto assim por uma parcela da sociedade, principalmente os socialistas?

A principal alegação é que o capitalismo gera muita desigualdade, não é um sistema justo, não enxerga méritos, etc….

Quando na verdade uma das coisas que o capitalismo mais venera é o mérito, de fato se você trabalha e cria mais coisas é fato mais do que consumado que você obterá mais dinheiro ou até mesmo riqueza. Quanto ao campo de desigualdade é tão óbvio que qualquer sociedade no mundo há desigualdade, pois os campos de trabalho e de profissões não são iguais e não teria como ter igualdade, senão aí é que teríamos mais injustiça, enquanto que em uma sociedade mais capitalista praticamente a maioria prospera e tem qualidade e condições de vida muito melhor que as demais.

O capitalismo melhorou muito as condições de vida do ser humano e até mesmo dos animais, pois além de acúmulo de capital, ainda distribuiu tecnologias e modificou estruturas em todas as áreas.

O capitalismo só é mal-visto por uma parcela da sociedade, somente da boca pra fora, mas no fundo ama ele.

E porque hoje em dia o “capitalismo de mercado”, que é o capitalismo de livre mercado, vem perdendo espaço justamente para o “capitalismo de estado”?

Por que propriamente o estado percebeu que o capitalismo deu certo e se adequou ao mundo e resolveu se impor em cima dele justamente para se manter no poder: status quo.

Qual a principal diferença entre ambos: No capitalismo de livre mercado, há pouca ou nenhuma intervenção estatal, o responsável por resultados econômicos é justamente o mercado, ou seja, empresas, serviços e pessoas, enquanto que no capitalismo de estado, há intervenção ou muita intervenção do estado na economia.

Mas e aí, qual deles é o que mais gera riqueza e prosperidade? Óbvio que é no capitalismo de mercado, onde quem responde pelos resultados são justamente as partes interessadas e não o estado, e também no caso não reprime a liberdade de ambos, coisa que não vemos no capitalismo de estado.

O capitalismo em si ele gera prosperidade porque respeita a liberdade de ambos os lados, respeita o mérito e o esforço e é por isso também que é tão mal visto por alguns. Infelizmente nem todas as pessoas se esforçam ou desconhecem o sentido da palavra esforço e mérito e não fazem ou criam nada, mas querem exigir o máximo e o melhor possível. E o que mais preocupa é ver que aumenta cada vez mais o número de pessoas com esse tipo de pensamento.

#fredjonas

FEMINISMO: MALEFÍCIO PARA AS MULHERES E SOCIEDADE

Feminismo, o que é? Para que serve, e que tipo de benesse ele pode trazer para as mulheres?? Enfim, vamos falar um pouco sobre esse movimento que hoje não passa de um malefício no geral.

O feminismo é um movimento coletivista que, que tenta impor uma superioridade imaginária das mulheres em relação ao homem, fez com que muitas que se tornaram feministas se perderem no seu papel no mundo e na sociedade, principalmente como humana, porque acaba cegando as próprias, que ficam com gana de impor suas ideias sobre outras pessoas sem enxergar o impacto que isso poderá causar, e acaba que se tornando um problema a todos.

O feminismo que tem pautas, como: Aborto, direitos iguais em relação a trabalho, cotas em determinados departamentos, etc… não percebem que acabam que se tornando escravas do estado, em prol de seus “direitos” conquistados, jogam fora até mesmo muitas conquistas em vida, por conta da causa feminista.

Elas defendem o aborto, alegando ser por saúde publica, quando na verdade não passa de pura balela, pois por trás disso tudo está mesmo e a libertinagem, elas querem saber e de transar a vontade, porém sem nenhum compromisso com gestação e família, e então qual o caminho mais fácil? O aborto, óbvio.

Vivem criticando os homens, chamando-os de machistas, machos escrotos, tóxicos, etc…

Só uma observação; o fato delas não quererem se tornar mães não é nada ilegal, pois cada um tem a liberdade de escolha em sua vida , desde que não interfira na vida de ninguém, o problema é quando querem impor goela abaixo na sociedade.

Enfim, o que o feminismo traz de bom para as mulheres e a sociedade? NADA, absolutamente NADA, somente traz malefícios, principalmente porque acabam se tornando escravas do estado. E ainda por cima o feminismo faz da mulher uma “prostituta” como mencionei no caso da defesa do aborto, outras bizarrices sexuais que a causa defende, e detalhe: se elas dizem tanto que o homem é um “estuprador em potencial” porque elas saem nas ruas fazendo arruaça nuas, isso quando não saem na rua e se masturbam em público.

Feminismo é nada mais do que isso: coletivismo que quer impor “superioridade feminina” com pitada de libertinagem, sem compromisso com família e ódio aos homens, nem que pra isso se pareça com um, ou de repente um acaba se tornando uma “delas” e as derrubem.

O que mais preocupa é que vejo muita mulher “normal” que está ou foi contaminada com a mentalidade feminista e acaba concordando com muitas das teses delas.

Você que não é Amélia, mas é mulher de verdade, tem que ser as primeiras a irem contra essa ideologia nefasta que só prejudicam a si próprias, tem que ser as linhas de frente, não podem abaixar a cabeça para essas anencefalias que no fundo só enxergam a causa e o estado pois no fundo, todos sabemos que é só mais uma forma de escravizar a todos.

DIGA NÃO AO FEMINISMO.

#fredjonas

O QUE ESTÁ POR TRÁS DA AGENDA 2030 DA ONU?

Você já deve ter ouvido falar da tal agenda 2030 da ONU, mas afinal do que se trata??

Dizem que é para o bem estar social da população mundial, para sustentabilidade, igualdade de gênero, diversidade, etc…

Mas na verdade não passa de um plano macabro, monstruoso, que servirá mesmo para escravizar cada vez mais o povo, com um governo único, moeda única, e um estado considerado semi-deus para fazer o que bem entender do povo em prol do bel prazer de uma classe globalista e cada vez mais meta-capitalistas que só pensam no poder e no cabresto geral. E tudo isso com carta branca da maldita ONU, como a própria sendo a sede do governo mundial.

Desde sua fundação em 1945, a ONU nunca passou em si uma exata confiança, pois sempre viveu de planos ocultos e de “acordos”, esses sempre tirando dinheiro das nações, usando falsas dialéticas de que são para ajudar as nações mais pobres, porém essa ajuda é bem escassa desde então, porque os países continuam chafurdados no terceiro mundo enquanto que a maldita ONU, continua sempre de pé, sendo financiada pelas nações, corporativistas e políticos corruptos.

Se você pegar todos seus chefes desde sua fundação, você irá perceber que todos eles são da mais nefasta ideologia:

O COMUNISMO.

Por aí você já tem uma noção do porquê de tantos acordos falsos, de tantas incoerências no mundo e de tantas outras coisas absurdas que a gente vê nesse mundão; muito de tudo isso tem o dedo podre da ONU. E essa malfadada agenda 2030 e só mais um plano maldito de querer se impor diante da sociedade, só que desta vez não tem somente o intuito de tirar dinheiro das nações, mas sim de por a população mundial de joelhos dentre eles e a elite globalista pilantra que os financiam, esse e o intuito final: PODER, e mais nada.

Não caiam nessa ideia da agenda 2030 e de seu lindo desenho, pois tem muita coisa podre por trás dele.

#fredjonas

O que falta é empatia.

Pedir desculpas por ser homem é coisa de retardado.

Sempre houve promiscuidade entre mídia e estado.

Não existe novo normal.

Não existe dinheiro público.

Imposto é roubo.

Se você chama de negacionista quem lida com o coronavírus com sanidade, você é burro.

Ser contra vacinação obrigatória não é ser antivacina, é ser a favor da liberdade.

Se você acredita que é possível haver Liberdade no Socialismo, você é idiota.

Mas se você entende que o Socialismo foi distorcido e por isso não funcionou, sabe que a desigualdade é terrível e que o que falta ao mundo é amor e, sim, acredita que é possível haver Liberdade no Socialismo, você é relativista… E idiota.

Não existe Papai Noel, não existe Coelhinho da Páscoa e não existem girafas na Amazônia.

Mas você pode me achar radical.

Você pode estar ressentido, rancoroso e ofendido.

E se você leu o que escrevi e ficou ofendido, não me leve tão a sério. Procure seu eu interior, faça um retiro silencioso, umas aulas de pintura em porcelana e procure uma terapia holística.

Acredite nas energias do universo, afinal o que falta é empatia.

E falou empatia, já sabe… Lá vem merda.

#DiogoSimas

Realidade e Gravidade

O Coronavírus é real e as mortes (absolutas, tristes e pelas quais sinto) são reais, mas o risco, analisando-se em perspectiva, não é absurdo.

E muitas pessoas ao analisarem a realidade, não levam as supostas medidas de contenção a sério, pois o risco, que é real, não é absurdo.

Vamos seguir.

Vamos pensar sobre Pandemias, Liberdade e Realidade.

Digamos que houvesse um vírus letal como o Ebola e transmissível como o Coronavírus.

Pessoas se contaminariam, colocariam sangue para fora do corpo pelos olhos e as mortes viriam em milhões.

Cenário de horror e dor.

Seria razoável um lockdown?

Seria razoável impor o uso de máscaras?

E, finalmente, uma vacina é desenvolvida!

Seria razoável exigir que todos se vacinassem?

Eis a realidade: se houvesse um vírus letal como o Ebola e transmissível como o Coronavírus, ninguém precisaria impor um lockdown, pois as pessoas ficariam em casa; ninguém precisaria mandar alguém usar máscara, pois as pessoas usariam máscaras; e ninguém precisaria impor vacina, pois haveria fila para se vacinar.

A realidade se impõe.

Caso haja um risco absurdo, não serão regras que irão impor limites à liberdade… Será a realidade.

A realidade existe.

A realidade se impõe.

E a realidade é que o Coronavírus, repito, é real, o sofrimento é real e as mortes são reais, mas, analisando-se em perspectiva, fica claro que não justifica o pânico absurdo e absoluto.

Todos somos livres.

Todos são livres para pular de um avião sem paraquedas e não é preciso um decreto para evitar que se faça isso.

A gravidade faz mais efeito do que qualquer decreto.

A lei da gravidade é real.

#DiogoSimas

O QUE PESSOAS EMPREENDENDO LIVREMENTE SÃO CAPAZES?

Faleceu, na semana passada, o agricultor Herbert Bartz.

Bartz é considerado pioneiro e precursor do plantio direto, método que revolucionou a produção de grãos no Brasil e cujas melhorias a partir do antigo modo de plantio foram: redução de erosão e perda de nutrientes, retenção de água e facilidade de infiltração no solo, conservação de palhada e subsequente incremento de matéria orgânica, redução de custos e otimização da mão de obra. Estes avanços resultaram em um aumento EXPONENCIAL de produtividade, o que consequentemente implica em quantidades maiores de alimentos, reduzindo o seu preço.

Agindo livremente, Herbert Bartz buscou uma maior satisfação, visando o lucro e, assim, melhorou a vida de milhões de pessoas.
Ele sozinho fez mais pelo Brasil do que todos os burocratas juntos. A verdade é que QUALQUER empreendedor faz mais pela sociedade do que estes parasitas.

E haveria milhares, milhões destes empreendedores, solucionando problemas e contribuindo para a prosperidade, se não fosse a asfixiante gama de impostos, burocracias e regulações que servem única e somente para tolher a função empreendedorial, prejudicar o processo de formação de riqueza e eliminar a competição, favorecendo assim as empresas já estabelecidas no mercado.

A simbiose entre corporações e estado através da legislação positivista é, sem dúvida, o esquema mais nefasto existente, e precisa ser combatido a todo custo.

#joaozuan

EUA: A NAÇÃO QUE MAIS SE APROXIMOU DO LIBERTARIANISMO NO MUNDO.

Hoje vamos falar sobre a maior potência mundial, e que está há mais tempo nessa situação: Os Estados Unidos da América do Norte.

Porque os EUA estão nessa posição privilegiada há muito tempo e ainda permanecem? Embora eu acredite que mesmo diante desse momento cruel e truculento, não creio que irão perder essa posição, mesmo com todas as ameaças até mesmo do próprio status quo americano.

Mas enfim, vamos lá; Os EUA chegaram a essa posição não foi por acaso, assim como as coisas no mundo não são por acaso. Chegaram nessa situação exatamente por dar prioridade a algumas coisas básicas para nossa prosperidade: Propriedade Privada e Liberdade, desde sempre a sua luta, a sua independência, muitos dos heróis americanos como George Washington e Thomas Jefferson sempre deram prioridade a liberdade, sendo assim ao seu princípio de independência, fizeram a melhor e mais enxuta constituição do mundo, que serviu de inspiração para outras nações, porém sempre com uma maquiada, eles entenderam que se quisesse uma nação forte, com um povo forte e instituições estáveis, a priori teria de ser exatamente essa; propriedade privada e liberdade individual.

Ok, mas porque os EUA não chegaram a ser totalmente libertários? Exatamente por ainda manter um estado, mesmo que mínimo, ou seja, uma nação minarquista, mas que deu muito certo. Apesar que o minarquismo (liberalismo clássico), é praticamente o embrião do libertarianismo.

Quando os participantes do estado perceberam que o povo americano tinha uma perspectiva empreendedora, decidiram então dar mais ênfase a liberdade e enfim não demorou muito tempo a colherem os frutos da prosperidade; a nação líder mundial em multinacionais, em tecnologia e até mesmo na parte agrícola, já que até nisso é uma nação privilegiada desses recursos.

Foi muito bom para eles e para o mundo, porém a partir daí o próprio status quo americano começou a sabotar, pelo fato de obter muito acúmulo de capital e ter um povo muito forte, começaram a querer interferir em várias nações, e talvez isso tenha começado a manchar a imagem dos EUA.

Mas até hoje continuam na liderança de potência mundial, e sendo o símbolo da liberdade, isso que contribuiu aos EUA a chegarem nesse patamar, e não como muitos analfabetos e desonestos intelectuais insistem em repetir feito imbecis: que só chegaram lá por fazerem terrorismo financeiro ou “imperialismo”.

Não há nada disso, e sim dar prioridade aos princípios básicos de prosperidade humana. É lamentável ver gente se deixar enganar e levar por discursos tão toscos e fáceis de serem refutados.

Os EUA não são conhecidos como a terra da liberdade e prosperidade do nada, mas sim com muito trabalho, inteligência, esforço, visão e liberdade.

Espero que entendam esse pequeno resumo sobre os EUA e entenderem o porquê são a maior potência da história.

Não é por sorte, ou porque Deus é norte-americano, ou porque teve herança britânica, mas sim porque sempre foi uma nação que além da liberdade, também sempre priorizou o esforço. E também porque é a nação que mais se aproxima do libertarianismo no mundo.

#fredjonas

Custo Brasil: Desmitificando o vilão estrutural, burocrático e econômico que atrapalham o país.

No Brasil, percebe-se que há inúmeros críticos, especuladores ou indivíduos interessados que comentam sobre a reforma tributária, um assunto tão comentado. Por outro lado, percebe-se que muitos não conhecem bem o que é essa reforma, e quais os benefícios que nós brasileiros teríamos com a aprovação desse projeto.

A reforma tributária não reduziria os tributos já de imediato. Ela facilitaria os trâmites burocráticos que deixam o ambiente de negócios sucateado e acabaria com o tal “Custo Brasil”, esse câncer que atormenta o país, um entre vários problemas que deixam tudo mais caro por aqui.

A sociedade precisa entender o quanto nosso Estado é ineficiente e o quanto usurpa o cidadão brasileiro. Com todos esses impostos e cargas absurdas, ainda assim não conseguimos sustentar toda a máquina pública arraigada. No final de tudo essa conta não fecha e emitimos títulos pra maquiar esse déficit (saldo negativo). De janeiro a abril deste ano vence uma fatura de R$ 643 bilhões de dívidas do governo federal. Um total de R$ 939 bilhões foram gastos em 2020 pelo governo federal. Por isso a necessidade da PEC de teto de gastos públicos – PEC 241/55.

Custo Brasil é um cálculo feito por empresários e empreendedores que mostra a dificuldade estrutural, burocrática e econômica que fazem encarecer e impedem novos investimentos do setor privado, sucateando o ambiente de negócio no país. Esse termo é bastante usado pelos economistas do Brasil, que relatam a baixa competividade e produtividade por aqui.

Em países desenvolvidos, ao se produzir qualquer produto, são contabilizados os custos diretos, custos indiretos, lucro e imposto. Todos esses elementos são transmitidos ao governo e assim são cobrados taxas ou tributos. Por aqui, além de cobrar em cima desses tributos, inventamos mais duas taxas: O Custo Brasil e o imposto cobrado em cima do Custo Brasil. A reforma tributária chega com o intuito de retirar esse tributo absurdo, equiparando o comércio brasileiro com os níveis de mercados internacionais. A burocracia por aqui é enorme e as empresas são obrigadas a enviar milhares de documentações para a contabilidade e advogados e isso tudo se torna custoso e demorado, sendo feito através do chamado “Bloco K”.

Outro ponto positivo nessa reforma é que o Estado não precisa desmembrar toda empresa e tudo aquilo que é faturado, simplificando impostos de estado para estado. Assim fica mais fácil para o empreendedor. A exclusão desse Custo Brasil é importantíssima e pouco comentada. Isso faria com que os produtos ficassem mais baratos, além de gerar empregos, pois motivaríamos o setor privado. Para os defensores de tributos e desse gigantesco Estado, não é taxando as empresas ou cobrando mais tributos que se diminui a desigualdade social. A realidade é que o governo precisa parar de atrapalhar o empresário e deixar produzir riqueza de maneira efetiva. É mais viável diminuir o custo dos produtos, e assim aumentar o poder de compra da população brasileira e gerar um grande enriquecimento da população através de novos empregos. Serviços que realmente necessitam demanda do mercado e que agregam valor para economia do país, sem canetadas desenvolvimentistas que geram emprego a curto prazo, distorcendo a economia e aumentando a inflação.

Todo ano o Custo Brasil tira R$ 1,5 trilhão das empresas que estão instaladas no país. Isso representa 20,5% do PIB. Não à toa, há essa debandada de empresas multinacionais fugindo do país, sendo 15 multinacionais em dois anos (1 a cada 3 meses). É um dos maiores problemas enfrentados pelo país, em que empresas como a Ford só ficariam por aqui se recebessem subsídio. Tudo bem que a Ford já dava sinais de saída do país há bastante tempo, mas não dá pra fechar os olhos para esse vilão que espanta as empresas. O fato é que somos primatas no cenário de empreendedorismo e competividade. Produtividade é primordial para um crescimento saudável.

Adam Smith enfatizava a grande importância de uma economia livre com baixa intervenção do Estado, criticando o protecionismo. Eu, um dos defensores dessa mesma tese, reafirmo que sim, não são necessários dados e explicações científicas para ir muito longe. Através de canetadas e desleixo com o mercado privado, chegamos a esse abismo onde estamos. Não encontro termos técnicos para relatar o momento atual, pois de 1990 a 2000, fomos à era perdida. De 2014 pra cá nada mudou e parece que nada vai mudar. Já são 7 anos perdidos. Precisarão mais quantos para o Estado fazer o seu papel e deixar o mercado trabalhar em paz?

Da maneira que os políticos conduzem esse país em uma verdadeira caça às bruxas, a classe baixa da população brasileira pagará a conta dessa autocracia que pisa e explora o indivíduo sem pudor algum. É de suma importância a PEC 45/2019, para alavancarmos os empregos e deixar o cenário de negócios brasileiro equiparado aos demais países. Além de tudo, é necessário que o cidadão entenda a necessidade e o papel de uma empresa na sociedade e acabe com o Estado arraigado e a indústria oportunista (indústria de ação trabalhista).

A grande diversificação da produção de grande quantidade de todos os ofícios, é devido a divisão do trabalho em uma sociedade bem governada. Assim, aumentariam a produtividade e conseguiriam produzir mais riquezas, assim ajudando a diminuir a classe baixa. Uma sociedade bem governada é a causa da riqueza das nações.

Adam Smith – A riqueza das nações

#wadathanfelipe

Politicamente correto? Isso é doença.

O pensamento politicamente correto é terrível.

Em meio à crise, não peça para o politicamente correto analisar dados, entender e enfrentar o todo e lidar com fatos.

Politicamente corretos não lida com fatos ou dados e se você pedir para que eles exponham suas razões com base em dados, prepare-se, porque a partir disso você será taxado de irresponsável, insensível e lacrador (admito que ainda não entendi o que é isso).

E os argumentos de autoridade, que são os únicos que os politicamente corretos têm, virão em profusão.

Politicamente corretos, por não conhecerem os dados, sentem medo, não com base na análise do risco (sim, o risco é real!), mas com base no que viram na televisão ou na internet e, como não gostam de dados, não filtram a informação e entram em desespero.

E o que os politicamente corretos desejam?

Controle.

Eis o drama!

Mas o drama não é deles. É meu e seu!

Se nós deixarmos os politicamente corretos falarem asneiras, tecerem sandices e levarem mais pavor que o coronavírus, acredite, será preciso carteirinha de vacinação para sair de casa.

Bares e restaurantes?

De jeito nenhum! É muito perigoso para o contágio.

Carnaval?

Nunca mais!

É muito anti-higiênico!

Viagens de avião, cruzeiros, aulas de lutas, natação, danças, torcidas em jogos de futebol… E as crianças nas escolas não irão mais se abraçar?

É isso mesmo o que eles querem?

O coronavírus é real, o risco é real e o sofrimento é real, mas o coronavírus não irá embora.

Quantas quarentenas eles inventarão?

Home office é coisa para muito, mas muito poucos e quem trabalha hoje para comer hoje não tem opção.

Enfim, não se guie pelos politicamente corretos.

Saia de sua bolha e enxergue a realidade: os politicamente corretos também são uma doença.

#DiogoSimas

O Crime Oficial — Policial

Policial militar que cumpre ordem tirânica contra o povo de bem é CRIMINOSO (por Anderson Fagundes).

Essa frase do meu amigo Anderson vem muito a calhar neste momento em que a polícia do Estado de São Paulo executa mais um confinamento brutal decretado por João Dória contra o cidadão paulista.

Policial que joga bomba contra cidadão de bem e o prende é um bandido como outro qualquer (só que de farda) e responderá a Deus pelo crime de tirania.

A polícia é o braço do estado comuno-globalista e é inimiga da ordem natural.

Faça o teste.

Pergunte a qualquer policial se ele defende o direito do indivíduo à posse de armas (a legítima defesa do cidadão).

O policial vai responder que não.

Para o policial de hoje, a ordem é representada pela lei do estado, independentemente de que a lei seja imoral ou injusta.

Normalmente, quanto mais injusta e opressiva a lei for contra a sociedade, mais empenho do policial em cumpri-la.

O policial ainda não consegue entender, por exemplo, que a arma é um direito básico do cidadão e que ela o transforma em seu aliado poderoso na redução do crime e na garantia da segurança pública.

Policiais (exceto a maioria da PRF) e militares (exceto os de baixa patente) são legalistas e totalitários.

Positivistas e autoritários.

Só seriam conservadores, liberais e direitistas, e legítimos ‘democratas’, se protegessem a sociedade contra as arbitrariedades do estado.

Se escolhessem proteger as famílias e seus direitos sagrados, inclusive o direito do indivíduo trabalhar, subsistir e prover.

Tudo que favorece o poder total do estado é ordem pra polícia, menos a ordem verdadeira, isto é, o direito natural do indivíduo à liberdade, à propriedade e à vida.

A polícia, infelizmente, quer o povo fraco e dependente dela para submetê-lo ao seu poder e abusar dele.

Se a polícia fosse direita, quereria a independência do povo e não a sua escravidão.

Complementos:

O direito de possuir uma arma pertence ao indivíduo e à sociedade e não ao governo.

É anterior ao estado e inerente ao homem.

A única justificativa para a existência de um governo é proteger este direito de defesa do ser humano individual. O estado, portanto, não passa de um servo auxiliar do homem na garantia da ordem.

Governo que passa disso é ditadura.

O novo normal é a nova ditadura.

#DuSol