Postagem

2013 Abr 11

Repúdio à presença de mensaleiros na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara

Repúdio à presença de mensaleiros na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara

Nota de repúdio a presença de deputados condenados pelo caso do mensalão na comissão de constituição e justiça.


Marco Feliciano (PSC-SP) ganhou notoriedade recentemente por suas declarações homofóbicas e racistas, e por, mesmo assim, ter sido alçado à presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Nós, do LIBER, já nos manifestamos contra a presença do deputado em uma posição dessa importância.

Agora, Feliciano manifestou também que só deixa a presidência da comissão se os mensaleiros que fazem parte da Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Câmara também deixarem suas posições.

José Genoíno, condenado a 6 anos e 11 meses em regime semiaberto por corrupção ativa e formação de quadrilha, e João Paulo Cunha, condenado a 9 anos e 4 meses de prisão em regime fechado por peculato, lavagem de dinheiro e corrupção passiva, ambos do PT-SP, integram agora a CCJ, que é considerada a mais importante das comissões da Câmara.

A CCJ possui mais de 60 membros de titulares e, além dos dois recém-condenados, a comissão ainda conta com a presença de Paulo Maluf (PP-SP). As credenciais desses deputados claramente mostram que deveriam ser rechaçados por essa comissão, não parte dela.

Nós, do LIBER, nos posicionamos claramente contra a participação de tais políticos na CCJ. A aceitação da presença desses deputados numa comissão de tamanha importância diz muito sobre a fraqueza das instituições do Brasil.

Não aceite essa situação. Seja parte da mudança.

Seja LIBER.