Postagem

2014 Fev 18

Apoio à luta do povo venezuelano contra o totalitarismo

 Apoio à luta do povo venezuelano contra o totalitarismo

Nós, enquanto libertários, temos que apoiar a luta dos venezuelanos contra a desprezível tirania que se instalou no país. Porque se não agora, quando?


Desde o último dia 12, a Venezuela tem sido tomada por protestos monumentais contra o regime chavista. A imprensa brasileira, de forma geral e bastante infeliz, não tem dado a importância devida aos acontecimentos naquele país, que na última década vinha sendo a vitrine e o modelo do socialismo a ser aplicado na América Latina.

Porém, trata-se de um modelo fracassado. O planejamento central além de não poder funcionar em hipótese alguma – como jamais funcionou no passado – também implica numa perda de liberdade sem precedentes onde quer que seja tentado. Com a concentração do poder econômico no governo, as pessoas perdem qualquer tipo de autonomia e passam a ser apenas peões movimentados num tabuleiro pela elite política.

De fato, foi exatamente isso que ocorreu na Venezuela, com o estabelecimento de seu extenso estado assistencialista – embora seja possível dizer que as chamadas “conquistas sociais” do regime de Hugo Chávez foram mais golpes de marketing do que mudanças reais nas prioridades estatais.

Seja como for, a estrutura social venezuelana está em frangalhos. O estado fracassou em prover os serviços mais básicos, a inflação é galopante e a violência urbana é uma das mais altas do mundo. Tudo isso enquanto a chamada “boliburguesia”, uma nova casta de capitalistas apadrinhados, enriquece às custas do povo.

Por isso agora os venezuelanos saem nas ruas para protestar e descobrem a face mais sinistra do planejamento central socialista: quando acuado, o estado vai fazer o que precisar para manter seu poder. O resultado é o que vemos em notícias nos últimos dias: a violência esmagadora contra estudantes e civis desarmados, tanto da parte do governo de Nicolás Maduro quanto de seus apoiadores resultou, até o momento, em mais de 125 prisões, ao menos 60 feridos e, no mínimo, 3 mortes.

Nós, enquanto libertários, temos que apoiar a luta dos venezuelanos contra a desprezível tirania que se instalou no país. Porque se não agora, quando?